Vereador João Marcos Luz lamenta perseguição da Prefeitura aos trabalhadores ambulantes

por Victor Augusto Farias publicado 21/08/2019 19h27, última modificação 21/08/2019 19h27

O vereador João Marcos Luz (MDB) usou a tribuna da Câmara Municipal nesta quarta-feira, 21 de agosto, para lamentar a perseguição da Prefeitura de Rio Branco com os trabalhadores do comércio ambulante.

"Estou trazendo para esta Casa o meu apoio a quem gosta de trabalhar e meu repúdio a quem não gosta. Estou me referindo a algumas perseguições por parte da Prefeitura de Rio Branco em relação a quem busca trabalhar. Cito três situações que estão ocorrendo agora. Primeiro os ambulantes que trabalham ali no entorno do Pague Pouco, no Manoel Julião, estão sendo retirados de lá, onde trabalham há muito anos, conseguindo o pão de cada dia. São pessoas que estão trabalhando para sustentar a família. A Prefeitura não busca o diálogo. Estas pessoas precisam de tempo para mudar. Outra situação é de um proprietário de salão. Ele informou que a Prefeitura vem impondo diversas burocracias para que o salão possa abrir. E, por último, lamento que o 'Rapa' esteja fazendo o limpa no centro, impedindo as pessoas de trabalharem. A própria gestão municipal está prejudicando a população quando deveria ajudar e incentivar", destacou.

Luz continuou criticando a decisão da Prefeitura de dificultar a vida dos ambulantes.

"Por que o Rapa em vez de prejudicar as pessoas que trabalham, mesmo com todas as dificuldades, não vão atrás da corrupção na EMURB, na Prefeitura. Peço que a gestão municipal deixe as pessoas trabalharem. Estamos vivendo momentos difíceis, então temos que apoiar quem tem vontade de trabalhar. O Poder Público tem que fazer Justiça a quem quer trabalhar, tem que defender este cidadão. Quero pedir paciência à Prefeitura. Não quero desorganização, mas é necessário a liberdade para o povo trabalhar. Tem que ter condescendência, oportunizar trabalhos. O poder público jamais pode ser um empecilho", frisou.

O vereador aproveitou para cobrar da Prefeitura parceria com o Sistema S visando oferecer mais oportunidades de crescimento a estas pessoas, além do município incentivar que se tenha mais empreendedores na cidade.

"Cadê a parceria com o Sebrae, Senai, Senac, Sest Senat, para que a população tenha mais oportunidades. Cadê a política de geração de emprego em Rio Branco? Não existe. O que tem é perseguição. E ainda vejo gente da esquerda defendendo quem pratica violência, como no caso do sequestrador do ônibus no Rio de Janeiro. Lamento pela família dele, mas não tinha outra solução para a polícia", encerrou o discurso.

error while rendering plone.comments