Secretários de Bocalom vão à Câmara para prestarem esclarecimentos sobre as ruas do “programa Ruas do Povo”

por Lucivania Marques publicado 17/05/2022 16h48, última modificação 17/05/2022 16h48

Atendendo o requerimento do vereador Adailton Cruz (PSB), a Câmara Municipal de Rio Branco desta terça-feira (17) recebeu o Secretário Municipal de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano – Sr. Antônio Cid Rodrigues e o Diretor–Presidente da Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco – EMURB – Sr. José Assis Benvindo, para prestarem esclarecimento a respeito do planejamento de manutenção e revitalização das ruas contempladas com o programa Ruas do Povo, que se encontram sub judice.

Na Tribuna da Câmara de Rio Branco, o Secretário de Infraestrutura afirmou que a prefeitura não pode intervir na manutenção dessas ruas, uma vez que o “programa Ruas do Povo” era de competência do estado, ainda informou que a prefeitura não dispõe de orçamento, uma vez que não estava previsto tais gastos.

“Ocorre que até o presente momento não houve a entrega das obras, não houve prestação de contas, e como é que o município vai interferir nessas áreas? agora como o prefeito já deixou claro, ele quer fazer, mas tem essa barreira jurídica, o município não dispõe de orçamento, que não estava previsto, é claro que após o desenrolar desse processo a prefeitura irá cuidar dessas ruas”, afirmou Cid Rodrigues.

O Presidente da EMURB - José Assis Benvindo reiterou as palavras do Secretário Municipal, e destacou que tem se tentado trabalhar em todas as ruas, para melhorar a qualidade de vida desses moradores, mas existe o empecilho jurídico e a orientação da gestão é que se aguarde a tramitação do processo.

Para amenizar a situação dos munícipes que reside nas áreas que estão sob judice, a vereadora Lene Petecão (PSD) sugeriu ao executivo a isenção da cobrança do IPTU. De acordo com a parlamentar, a prefeitura precisa agir para garantir assistência aos moradores destas vias.

O vereador Samir Bestene (Progressistas) também questionou se existia a possibilidade de uma parceria entre EMURB e Governo, em reposta, Assis Benvindo afirmou que não existia a possibilidade de parceria e que a EMURB não teria condições de assumir as obras.

Por fim, o presidente da casa, vereador N.Lima (Progressistas), alertou que a situação é política e disse que a prefeitura precisa tomar providências "Então eu acho que está na hora da prefeitura e do poder executivo achar uma maneira jurídica para fazer essas ruas, porque se não vai entrar na justiça, a justiça e lenta não vai responder agora, Tião Bocalom vai passar 4 anos e essas ruas vão estar ai que não vai entrar ninguém’’, concluiu.