No espaço Tribuna Livre da Câmara Municipal, Agentes de Saúde repudiam prefeito Tião Bocalom em dizer que a categoria não quer trabalhar.

por Lucivania Marques publicado 02/03/2021 17h33, última modificação 02/03/2021 17h33

Na sessão virtual desta terça feira (02), o espaço da Tribuna Livre foi cedido aos representantes do Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Branco (SSEMRB) e o Sindicato dos Agentes de Saúde e Endemias (SINDACS) que repudiaram a declaração de Bocalom em entrevista a emissora TV Gazeta. Bocalom afirmou que os Agentes Comunitários de Saúde estavam há dois anos sem ir para as ruas para fazerem seus trabalhos.

Márcia Jucá- Presidente do SINDACS lamentou a postura do prefeito afirmando que é uma falta de respeito e total descrédito com a categoria e pediu apoio dessa casa legislativa “Precisamos do apoio de vocês, o que eles falam e que não queremos trabalhar, nós queremos fazer o nosso trabalho, mas sem condições é impossível, Eles estão impondo, imaginem visitar 250 casas em 3 dias, isso não existe. Os agentes de saúde são para orientar a população, quem executa esse trabalho são os agentes de endemias”

 Os vereadores presentes na sessão apoiaram a Nota de  Repúdio dos Agentes Comunitário de Saúde, reconhecendo a importância da classe para a cidade e afirmando a necessidade da valorização da categoria tanto em melhores condições para o trabalho nesse período  de pandemia, e também a questão do piso salarial.

Confia a nota:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Branco – SSEMRB, e o Sindicato dos Agentes de Saúde e Endemias – SINDACS, vêm a público REPÚDIAR as palavras do Prefeito desta Capital, o senhor Tião Bocalom, que em entrevista concedida a TV Gazeta, afirmou que os agentes comunitários de saúde há dois anos não exerciam suas atividades nas ruas.

Como é de conhecimento de toda comunidade riobranquense, os Agentes Comunitários de Saúde desempenham um grande papel social, atuando desde os bairros da cidade mais distantes e desassistidos pelo Poder Público, até os confins da zona rural, aonde – por vezes, são o único elo entre o cidadão e os serviços de saúde.

Durante a pandemia causada pelo Coronavírus, os agentes comunitários de saúde se revelaram verdadeiros heróis, combatendo a doença mais letal enfrentada pela humanidade nos últimos 100 anos, tendo recebido, inclusive, o reconhecimento do próprio município de Rio Branco, com a majoração do adicional de insalubridade.

Contudo, a presença de uma parcela dos agentes comunitários de saúde nos Postos de Saúde ocorre, não por vontade do próprio servidor, mas sim por uma decisão de gestão, a fim de cobrir a falta de funcionários do Quadro para atender a população, razão pela qual o equívoco do Chefe do Poder Executivo Municipal não apenas desrespeitou gravemente estes servidores, merecendo o devido reparo, como também omitiu a verdade quanto as deficiências da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde.

Nesse sentido, requeremos que o Prefeito Tião Bocalom tenha a grandeza de se retratar publicamente com os agentes comunitários de saúde, restabelecendo a boa relação com esta categoria que há muitos anos coopera com as políticas públicas de saúde e assistência social do Município de Rio Branco.

 

Att.,

José Augusto P. da Silveira
Presidente do SSEMRB

Márcia Jucá
Presidente do SINDACS



Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.