N. Lima repudia funk tocado durante abertura dos jogos Inter Atléticas de 2019, na Ufac: “é pornográfico”

por Victor Augusto Farias publicado 03/09/2019 20h54, última modificação 03/09/2019 20h54

A abertura dos jogos Inter Atléticas de 2019, ocorrido no último sábado, 31, na Universidade Federal do Acre (Ufac) foi um dos temas debatidos na Câmara de Rio Branco na sessão de ontem, 3. Na oportunidade, o vereador N. Lima (PSL) disse que achou desrespeitoso um grupo de estudantes se apresentarem ao som de uma música (funk) com letra, segundo ele, de cunho pornográfico.

Ele pontuou que a ação constrangeu autoridade presentes, entre elas a reitora da Ufac, Guida Aquino. “Todos foram surpreendidos com a música. A reitora, por exemplo, aparentou enorme desconforto. Uma tremenda falta de respeito com as pessoas que estavam presentes para prestigiar o evento. Fiquei pasmo quando vi o vídeo. Causa constrangimento, sim. Isso é uma amostra de como as nossas instituições estão sendo geridas. Só acontece porque a administração permite”. E acrescentou: “Se houvesse pulso firme, ou um sistema rígido de administração esse tipo de coisa não aconteceria. Porque não criam um sistema a fim de que a universidade volte a ser respeitada?”, questionou.

N. Lima frisou ainda que havia lido uma notícia de que estudantes teriam usado maconha durante a abertura do evento. “Mais cedo li outra noticia que escandaliza. Um jovem havia fumado maconha explicitamente durante a abertura dos jogos na Ufac. Fez sem constrangimento e para quem quisesse ver. O que a administração fez? Nada. Ali também tem gente querendo estudar e a reitoria não tem dado suporte a essas pessoas. Não aceito esse tipo de administração em uma instituição tão importante. Cobro do acadêmico, mas cobro também da reitora, que é a autoridade máxima daquele local. Ela precisa ter pulso firme e não aceitar que esse tipo de coisa aconteça. Desmerece a universidade”, finalizou.

Reitora da Ufac

Por meio de uma nota, a reitora esclareceu que a programação do evento, chamado pelos acadêmicos de Organização dos Jogos Inter Atléticas (Orjia), ficou sob a responsabilidade da Liga das Atléticas. Além disso, um trecho da nota enfatiza: “a reitora é contra manifestações que denigram a imagem de mulheres, assim como condena a falta de respeito com a instituição”.

De acordo com a Universidade, o propósito dos jogos, organizado pela Liga das Atléticas, deveria atender exclusivamente a ideia de promoção do esporte universitário. “Neste sentido, somos completamente contra a qualquer manifestação que prejudique a imagem da Universidade Federal do Acre, tanto interna, com externamente”.

error while rendering plone.comments