Jarude propõe Política Municipal para Controle de Natalidade de cães e gatos

por Victor Augusto Farias publicado 10/12/2019 17h18, última modificação 10/12/2019 17h18

Projeto demanda ao Município a responsabilidade por castração gratuita de animais.

Com o intuito de contribuir com o controle populacional de cães e gatos em Rio Branco, o vereador Emerson Jarude (sem partido) apresentou na manhã desta terça-feira, 10, um Projeto de Lei para a instituição de uma Política Municipal para Controle de Natalidade de Cães e Gatos.

Responsável pelo controle de animais no Município, o Centro de Controle de Zoonoses oferece os serviços de vacinação contra raiva, controle de roedores, e realiza algumas castrações em parceria com as Organizações não Governamentais (ONGs).

No entanto, as castrações são realizadas apenas em casos pontuais, com uma longa fila de espera para atender a comunidade.  O projeto de Jarude visa mudar essa realidade designando oficialmente a responsabilidade ao Executivo Municipal e autorizando a instituição de uma política pública.

O vereador explica que o projeto propõe a priorização da castração de animais que vivem nas ruas, para posteriormente atender a população de baixa renda interessada na castração de seus animais.

“Acompanho de perto o trabalho realizado pelas ONGs de proteção animal, e sempre que tratamos do tema recebemos pedidos de uma iniciativa como essa. Oferecer o serviço castração gratuita, segura e de qualidade é uma demanda que afeta diretamente a qualidade de vida não só dos animais, mas de toda a população.”, defende o parlamentar. 

Jarude destacou ainda que ao instaurar uma Política Municipal para Controle de Natalidade Municipal o Estado estará cumprindo o papel que vem sendo assumido pela população, através das ONGs.

 

Sobre esse assunto, a especialista em Saúde Pública e Presidente da Sociedade Amor a Quatro Patas, ONG voltada a causa animal, Luciana Souza conta que diariamente voluntários realizam resgates e se mobilizam para custear as cirurgias, mas segundo ela, o trabalho é infindável quando não existem políticas públicas que garantam a resolução do problema.

“O sentimento como voluntária ao longo desses oito anos de atuação em Rio Branco, é que por mais que façamos um trabalho de suma importância, e juntando todos os esforços de pessoas independentes, o número de animais nas ruas só aumenta, o quantitativo de abandono aumenta, e a sensação é de enxugar gelo diariamente.”, revela.

Em virtude do recesso parlamentar, que tem início na sexta-feira, 13 de dezembro, o projeto não será votado ainda neste ano. Mas o autor da proposta garante que buscará a sua aprovação ainda nos primeiros meses do próximo ano legislativo: “A causa animal é uma das bandeirolas do nosso mandato”, afirma Jarude.

Assessoria

 

 

error while rendering plone.comments