Jarude denuncia processo de contratação de professores e critica atraso do início das aulas

por Victor Augusto Farias publicado 14/02/2019 16h31, última modificação 14/02/2019 16h31

Em discurso na sessão desta quinta-feira, 14, o vereador Emerson Jarude (sem partido) criticou a forma com que a Prefeitura de Rio Branco vem tratando a contratação de professores, cuidadores e nutricionistas e a decisão de adiamento do início do ano letivo do dia 18 de fevereiro para 11 de março.

Jarude defende que a decisão da Secretaria Municipal de Educação (Seme) de cancelar a contratação de professores temporários após o vencimento do edital de concurso, e iniciar outro processo seletivo, não era necessária já que o próprio edital permite a extensão do prazo em 10 meses.

“A primeira pergunta que eu faço é por que a Prefeitura não prorrogou por mais dez meses o contrato desses professores aprovados em concurso, sendo que o edital permite? Seria a medida correta abrir outro processo seletivo?”, questionou.

O vereador ainda defende que a regra para as contratações para o Poder Público, não somente na Educação, mas em todas as áreas, seja a realização de concursos efetivos, deixando a contratação temporária apenas para casos de excepcionalidade.

“Fui procurado por alguns profissionais que tiveram despesas preparando a documentação, abriram conta no banco, saíram de seus empregos antigos, que inclusive já haviam iniciado a trabalhar, mas foram dispensados com uma ligação, alguns nem isso! Uma decisão como essa é desrespeitosa. A Prefeitura não pode errar desse jeito”, ratificou.

 Assessoria

error while rendering plone.comments