“Temos que trabalhar em prol da população”, disse Célio Gadelha ao comentar condução de mandato

por Victor Augusto Farias publicado 12/12/2019 08h34, última modificação 12/12/2019 08h34

O vereador Célio Gadelha, em pronunciamento na sessão de terça-feira, 10, na Câmara de Rio Branco, relatou sobre a postura que vem adotando ao longo de seu mandato. Ele reforçou o comprometimento com as demandas da população.

“Meu compromisso é com a população, portanto, ao apreciar uma matéria na Câmara busco saber se ela é benéfica para o povo. Se for, tem meu voto independente de ser oriunda de um parlamentar da base ou vinda do Poder Executivo. Não acho que é ser subserviente”, disse ao comentar sobre uma matéria veiculada em site local na qual questionou a condução do mandato.

“A oposição que faço na Câmara é muito séria. Não faço discurso incoerente Não faço política como meio de negócio, de sobrevivência. Ao contrário, estou na política para fazer o bem à população. Cada vereador deve votar naquilo que achar correto, e assim tenho feito. Sou subserviente por votar em um projeto que beneficia a população?”, questionou.

Na oportunidade, Célio destacou as matérias que ao longo do ano fez a defesa.  “Fui favorável à construção do Shopping Popular. Era uma matéria do Executivo Municipal. Deveria ter votado contra apenas pelo fato de ser da oposição? É um projeto que vai beneficiar cerca de 500 pessoas, geração de emprego e renda. Errei ao apoiar a matéria mesmo sendo benéfica para o povo?”.

Disse mais: “Da mesma forma o PL que tratou sobre a iluminação pública da capital. Tanta gente sem iluminação. Deveria ter sido contrário também porque sou da oposição? Que fique claro uma coisa, cumpro o meu papel enquanto representante do povo”.

Célio citou ainda ter sido favorável a abertura da CPI para investigar o transporte coletivo de Rio Branco, foi contrário ao aumento da passagem de ônibus. “Isso não é ser subserviente, mas trabalhar para melhorar a qualidade de vida da população e fortalecer a política em nossa cidade. Faço política para avançar. Temos que trabalhar em prol da população. Só porque sou da oposição que vou fazer o mal ou querer o mal? Não mesmo!”, finalizou.

 

error while rendering plone.comments