‘O povo de Rio Branco não apoia essa greve na saúde', diz Vereador Luz

por Victor Augusto Farias publicado 10/09/2019 19h30, última modificação 10/09/2019 19h30

O vereador João Marcos Luz (MDB) usou a tribuna da Câmara Municipal nesta terça-feira, 10 de setembro, para criticar o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre, Adailton Cruz, que afirmou que a greve na Saúde continuará independente da reunião com o Governo do Estado. O emedebista cobrou um prazo para a gestão estadual resolver a situação e foi enfático ao afirmar que o povo de Rio Branco não apoia esta greve.

 

"Subo nesta tribuna com uma preocupação do povo acreano e rio-branquense, e, como cidadão, venho cobrar uma resolução ainda hoje ou no máximo amanhã por parte do Governo do Estado. Estou me referindo a greve na saúde, na esfera estadual. Tenho trazido para esta Casa reclamações deste setor. Com a greve dos servidores da saúde do Estado a situação piora para a população. Me causa espanto as declarações do presidente do sindicato. Ora, eu não entendo a ação do líder do sindicato ao afirmar que irá manter a greve independentemente da reunião. Não sou contra a greve, entretanto, faço uma pergunta: tem pelo menos um dia de salário atrasado? Vejo uma incoerência nesta greve. Se tem alguma vítima é a população de Rio Branco. Espero que esta greve acabe hoje ou no máximo amanhã. Entre os servidores da saúde e a população, fico ao lado de quem paga o trabalhador, que neste caso é o povo", frisou.

 

 

Luz deixou claro que o povo deve ser sempre a prioridade, não podendo ficar sem os serviços básicos por conta de abusos do sindicalista.

 

 

 

"Sou um aliado do governador atual do Estado, todavia, não posso aceitar que a má gestão prejudique o povo. É só ir ao HUERB para ver que está um caos. Isto é uma tristeza, é desumano. Esse presidente só pode estar querendo ir para Hollywood. Ele quer aparecer. Não é hora de fazer greve. Pode fazer um manifesto, mas, greve, por tempo indeterminado, é inadmissível na atual situação em que estamos. Fico indignado, e esta Casa certamente não ficará calada. O povo de Rio Branco não apoia esta greve. Peço ao Governo do Estado um prazo para que seja resolvido. Não proporcionem mais uma humilhação para o povo. Nós não podemos incentivar o caos. O governador tem que dar uma resposta, pois já são nove meses na gestão do Estado. Estamos vendo todo o esforço depois de pegar um estado quebrado, no entanto, a partir de agora vamos cobrar", finalizou.

error while rendering plone.comments